Pular para o conteúdo principal

RH - Transformando a crise em oportunidade

Basta ler os jornais, revistas ou assistir aos noticiários da TV para saber que as coisas não andam muito bem em nosso país. As vendas caem, o desemprego sobe, a renda média dos assalariados cai, a gasolina e o gás de cozinha não abaixam, os preços sobem muito (qualquer um que faça compras no supermercado ou na feira sabe que falar em inflação de 1 ou 1,5% ao mês é figura de ficção, pois os preços se elevaram muito mais que 30% ou até 50% em curto espaço de tempo).

Por outro lado, temos um país com maravilhosas perspectivas: a agricultura e a exportação vão muito bem, temos um parque industrial atualizado, o grau de informatização de nosso país é crescente, nossa imagem no mundo gerou credibilidade, os indicadores sociais, apesar de tímidos, apresentam melhoras.

Quando se fala que a economia crescerá 1,5%, significa que num total, por exemplo, de R$ 900 bilhões teremos um aumento de R$ 13,5 bilhões. Não quero minimizar o impacto de encolhimento do PIB, mas se encolhermos 1,5% recuaremos R$ 13,5 bilhões. Mas a economia continua a movimentar R$ 886,5 bilhões... A vida continua: isto significa que as pessoas e as empresas têm suas atividades, o que representa consumo e investimento.

Creio que a grande questão que as empresas vivem hoje é como sobreviver e se desenvolver neste período de “vacas magras”, apostando no futuro e construindo tempos melhores.

A grande saída é dar um foco correto no negócio, gerando perspectivas compartilhadas com as equipes, numa visão do futuro possível, com pessoas que saibam aproveitar oportunidades e tenham motivação e perseverança para continuar firme em suas atuações. É claro que isto não substitui investimentos em novas máquinas e equipamentos, em ampliação da capacidade produtiva, mas isto é muito mais fácil de conseguir do que ter gente competente e motivada.

Investir no capital humano nas empresas é algo que não só traz retornos imediatos, como extremamente elevados. As melhores empresas para se trabalhar, segundo o critério da Revista Exame, apresentaram resultados de negócio (% de retorno sobre o patrimônio líquido) quatro vezes maiores que as outras empresas. Investir em gente, na dimensão humana é imprescindível para a continuidade, o sucesso e o desenvolvimento das empresas. Para tanto é importante buscar ações que tenham uma alta relação benefícios/ custos. Simplesmente cortar custos implica em ter benefícios zero!!!

Uma “agenda mínima” para a dimensão humana das empresas, a ser ajustada considerando as peculiaridades de cada negócio, é:

Ação: Definir uma visão de futuro da empresa: clara, entendida e compartilhada

Como implantar:

- Team Building para a definição.

- Reuniões da alta direção com todo o pessoal para difundir.

O que se ganha? Pessoal participante, conectado e orgulhoso dos propósitos da empresa.

Ação: Definir uma visão de futuro e metas da área de trabalho (departamento, unidade de negócios): clara, entendida e compartilhada.

Como implantar:

- Team Building para a definição.

- Reuniões dos líderes com todo o pessoal para difundir.

O que se ganha? Pessoal participante, conectado e orgulhoso dos propósitos de suas áreas de trabalho.

Ação: Treinamento de vendas, atendimento, foco nos clientes.

Como implantar: Workshops e palestras: técnicas e motivacionais.

O que se ganha? Pessoal capacitado e motivado.

Ação: Desenvolvimento de habilidades de gestão de pessoas e equipes: liderança, equipe, comunicações, reuniões.

Como implantar:

- Workshops e palestras que sejam técnicas e motivacionais.

- Apoio pós-workshop (counseling).

O que se ganha? Pessoal gerencial capacitado e motivado para agir nas dimensões humanas: saber mobilizar esforços, dar direção, treinar, reconhecer desempenhos.

Ação: Estímulo à inovação e criatividade.

Como implantar: Workshops e estímulos concretos.

O que se ganha? Novas idéias emergindo, valorizadas e implantadas.

Ação: Programa de Qualidade de Vida no Trabalho.

Como implantar: Ações localizadas que atenuem efeitos e causas.

O que se ganha? Redução do stress e aumento da motivação.

Esta agenda mínima deve ser apoiada por sistemas que assegurem a sua continuidade. Para tanto devem ser consideradas:

● Gestão de Competências.

● Gerenciamento por Resultados.

● Avaliação de Desempenho.

● Mapeamento 360º.

● Estrutura, diretrizes, práticas de Gestão de Pessoas e Equipes (RH).

Responda com clareza: o que sobra no seu negócio se for excluído o elemento humano? Provavelmente quase nada, será a resposta. Assim sendo, cuidar bem do pessoal gera resultados que virão muito rapidamente



Contribuição de Paulo Roberto da RH Portal.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Notícias do Planalto Central

Simbologia  A imagem (foto) marcante e mais simbólica da semana foi sem dúvida nenhuma a do governador Ibaneis Rocha na Ceilândia cercado de políticos "peso pesados" da Capital. Ladeado de Flávia Arruda (PL) o encontro sinaliza para uma aliança sólida neste ano de 2022.  'Puliça' O encontro de Ibaneis foi no reduto mais cobiçado da Capital, a Ceilândia (maior colégio eleitoral do DF), onde a foto fala mais do que qualquer palavra. O anfitrião,   o delegado Fernando Fernandes estava com sorriso de orelha a orelha com apoio e prestígio. O delegado deverá se filiar ao partido Republicanos com a benção de Ibaneis.  Volta à Cena O empresário e ex-senador  Luiz Estevão que agora goza de liberdade volta aos pouquinhos à cena política e parece já influenciar definitivamente alguns poucos  políticos da Capital, principalmente os distritais. Luiz tem política nas veias e participou discretamente de algumas "confras" ao lado da esposa Cleucy.   Decisão Fraga erra na tá

Coluna: Notícias do Planalto Central

Ex-governador Rollemberg Marketing reverso Na última semana de 2021, antes de assumir sua candidatura a deputado federal o ex-governador Rodrigo Rollemberg publicou um vídeo em que dizia do quanto dá trabalho cuidar das suas bezerrinhas. Fico imaginando o quanto é trabalhoso cuidar do seu curral eleitoral . Em tempo: no vídeo o político aparece todo sujo de esterco. Carnaval Atendendo a oração de muitos e mais ainda ao avanço de uma outra onda do vírus chinês o governador Ibaneis Rocha(MDB) cancelou o Carnaval de rua no DF. Ontem o vice Paco Britto anunciou não descartar um novo lockdown. "Saúde acima de tudo!"   Evangélicos Viver um paradoxo real é também ato de fé, na proporção em que a falta de Carnaval faz mal ao comércio e ao turismo da cidade, a pandemia do vírus chinês também faz mal à população deixando um rastro de pobreza (desemprego) e morte . O discurso dos evangélicos com referência ao fechamento das igrejas precisa encontrar um ponto de convergência ou

Coluna: Noticias do Planalto Central

Recesso Depois de duas semanas de folga a coluna Notícias do Planalto Central volta no mesmo ritmo da Câmara Legislativa: com muita leitura e atento aos movimentos dos deputados. Assim como muitos deles sedento por informações, já que estão com a boca fechada e não abrem por nada. Nesta fase de negociações os segredos devem ser preservados.  Busca por um partido Nesta toada de observações muitos distritais estão desesperados por um "lugar ao sol". Explico: Muitos dos que hoje são deputados não o serão no próximo verão. Mas não é só por causa das novas regras, a tal clausula de barreira e sim porque muitos dos excelentíssimos deixaram a desejar e são muitos ruins mesmo.  Mulheres Este colunista discorreu a relevância das mulheres nas próximas eleições e destaquei aquelas que irão concorrer à uma vaga de deputada federal. Leia lá .  O jogo muda completamente quando falamos das mulheres na Câmara Legislativa do DF. As distritais que hoje ocupam duas cadeiras poderão ficar ainda