Pular para o conteúdo principal

Renda Fixa - Riscos








 RISCOS ASSOCIADOS À RENDA FIXA

Risco de crédito:-Risco de não receber o valor em função do não pagamento do devedor.-Risco soberano (quem decide se vai pagar ou não é o governante).-A medida do risco soberano representa a avaliação da capacidade/interesse do governo em honrar suas dívidas. -Ainda assim, o título público emitido pela União é o instrumento de menor risco de crédito dentre todas as opções disponíveis no País, porque é o Governo quem emite a moeda e quem estabelece as leis, podendo impor restrições ao pagamento externo.Exemplos de títulos privados são os CDB’s, as Debêntures, Notas Promissórias, etc.
Risco de Mercado:

No caso dos títulos pré-fixados, Ele aparece quando há variação nas taxas de juros, que pode causar ganhos ou perdas para os investidores. O risco de mercado é, mais amplamente, o risco de variação de preços. No caso do mercado financeiro temos o risco de variação de preços no câmbio (subida ou descida do dólar), nas ações, nas commodities, nos derivados (opções), e nas taxas de juros, como já falamos.
Vamos ver um exemplo prático:-Valor de face do título (ou cheque pré): R$ 1.000,00-Prazo do título: 1 ano-Taxa de juros do mercado no dia 1: 13% ao ano
-Valor “de mercado” do título no dia 1: R$ 884,96
Se a taxa de juros cair no dia seguinte para 12% a.a., o valor de mercado do título no dia 2 será de R$ 892,86 e você terá ganho R$7,90, o que representa um ganho em apenas um dia de 0,89%. Se você mantiver o dinheiro aplicado, receberá os 13% ao ano combinados inicialmente.
Por outro lado, se a taxa de juros subir no dia seguinte para 14% a.a., o valor de mercado do título no dia 2 será de R$ 877,19 e você terá perdido, se precisar resgatar nesse dia R$7,77, o que representa uma perda, em apenas um dia, de 0,88%. Se você mantiver o dinheiro aplicado, receberá os 13% ao ano combinados.
Moral da história, nos títulos pré fixados você corre risco, em função da variação da taxa de juros, de receber uma taxa maior ou menor do que a que aplicou inicialmente se precisar desfazer a operação no meio do caminho.
Beto Veiga

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Introdução Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça. Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as 

Processo de Desenvolvimento Organizacional em 4 fases

Diagnóstico - Identificação do problema Através do contato com os dirigentes da organização, são identificados os problemas e as expectativas com relação à resolução dos mesmos.  Na seqüência, se inicia a fase de levantamento.  O objetivo da etapa de diagnóstico é fornecer uma situação inicial da organização. Plano de ação:  A definição do plano de ação ou estratégia de mudança deve se apoiar no diagnóstico realizado.  O plano de ação deve levar em consideração as metas e prazos, as técnicas de intervenção que serão utilizadas, os grupos-alvo e os resultados esperados.   Diagnóstico (Identificação do problema); Plano de Ação (estratégia de implatação); Intervenção (implantação das mudanças); Avaliação e controle Intervenção: A intervenção consiste em um conjunto de atividades previstas para os grupos-alvo.  O sucesso da intervenção depende do acerto da escolha da estratégia.  As atividades de intervenção compreendem também o processo de conscientização

Economia - Função de Oferta

FUNÇÃO DE OFERTA  PODE-SE CONCEITUAR OFERTA COMO SENDO AS VÁRIAS QUANTIDADES QUE OS PRODUTORES DESEJAM, OFERECER AO MERCADO EM DETERMINADO PERÍODO DE TEMPO EM FUNÇÃO DE PREÇO (Px). Seja os dados abaixo uma escala de oferta PREÇO (Px) QUANTIDADE OFERTADA (x) 1,00 1.000 3,00 3.000 6,00 6.000 8,00 8.000 10,00 10.000 OUTRAS VARIÁVEIS QUE AFETAM A OFERTA X= OFERTA Px= Preço do bem ofertado Pi = Preço de Insumos (fatores de produção); T = Tecnologia  X =f (Pi)  à X=f (Px, Pi,T) EQUILIBRIO DE MERCADO A lei da oferta e demanda (procura): Tendência de Equlibrio Pts. PREÇO (Px) PROCURA OFERTA SITUAÇÃO DE MERCADO A 1000 11000 11000 Excesso de demanda (escassez oferta) B 3000 9000 3000 Excesso de demanda (escassez de oferta) C 6000